Em formação

Quando os pais pensam que seu filho é baixo

Quando os pais pensam que seu filho é baixo

O tamanho dos filhos é algo que às vezes nos preocupa. Quando a criança é pequena, não parece crescer e, na maioria dos casos, o que acontece é que os comparamos com outras crianças da mesma idade. Foi o que aconteceu com meu irmão Felipe. Quando eu era criança, meus irmãos mais velhos o apelidaram de 'o anão', não porque ele era, mas porque ele era o mais baixo dos irmãos. Baixa em estatura sim, mas muito alta em bondade!

Uma amiga minha estava preocupada com a altura abaixo do percentil de seu filho de um ano, e o pediatra comentou com humor: 'Senhora, você não está fingindo gastar com sua herança genética!' É lógico pensar que pais baixos terão filhos pequenos e vice-versa, embora na herança devamos estender o raio de influência ao tamanho da família dos avós ou ancestrais.

O tamanho final da criança dependerá não só da hereditariedade, mas também a ausência ou presença de qualquer doença que impeça ou promova o crescimento ideal e, é claro, raça, sexo ou dieta.

Uma altura adequada ao nascer, uma alimentação balanceada e uma boa absorção dos alimentos na infância são fatores decisivos na altura final do adulto. Existem doenças como a doença celíaca, que, se não tratada adequadamente, impede a absorção adequada dos alimentos que prejudica o crescimento e desenvolvimento correto da criança.

Além de doenças físicas, também foi demonstrado que deficiências afetivas ou maus-tratos podem influenciar em um déficit de crescimento. O descanso da criança também é muito importante, o hormônio do crescimento que rege os processos biológicos para que o crescimento ocorra, é liberado, principalmente durante o sono.

Não há novidade para cuidar de crianças, as recomendações são sempre as mesmas: boa alimentação (descartar possíveis doenças); bons hábitos de sono; exercício e jogo; carinho e carinho. O resto vai ficar fora de nossas mãos, vai depender de sua dotação genética, sua raça e seu sexo.

Exames pediátricos de crianças

Exames médicos no primeiro ano de vida. Quando levar o bebê para exames médicos no primeiro ano de vida. A atenção à saúde da população infantil é atualmente um elemento básico da Atenção Primária à Saúde. Para ter uma referência de quando devem ser feitas as visitas ao pediatra, este é o calendário de consultas de puericultura por faixa etária.

Exames médicos no segundo ano de vida. Com que frequência temos que levar os bebês ao pediatra para os exames de saúde? Até os 18 meses, os exames de puericultura na Atenção Básica são agendados a cada 2 ou 3 meses, mas a partir dos 2 anos seu filho só precisará ir ao pediatra a cada 2 anos.

Exames médicos de 2 a 14 anos. Exames médicos da criança entre 2 e 14 anos. Quantas vezes temos que levar as crianças ao pediatra para os exames de saúde? Até os 18 meses, os exames de puericultura na Atenção Básica são a cada 2 ou 3 meses, mas a partir dos 2 anos, seu filho só precisará ir ao pediatra a cada 2 anos.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Quando os pais pensam que seu filho é baixo, na categoria Peso e tamanho no local.


Vídeo: Como lidar com filhos adultos que agem feito adolescentes (Dezembro 2021).