Adultos

Pais solteiros: os primeiros dias após a separação

Pais solteiros: os primeiros dias após a separação

Primeiras semanas como mãe solteira: sentimentos e desafios

Quando você se torna um pai solteiro após a separação, há muitas mudanças para lidar. Você pode estar lidando com a realidade da mãe solteira ou com os desafios da co-parentalidade quando você e seu ex-parceiro se ajustam à nova situação.

Os primeiros dias podem trazer todos os tipos de emoções fortes. Você pode sentir raiva, tristeza, frustração, medo, choque, culpa, arrependimento, vergonha e tristeza. Isto é normal.

Por outro lado, você pode se sentir aliviado, esperançoso ou animado com sua nova vida. Alguns pais recém-solteiros dizem que se sentem liberados do conflito e do estresse de negociar com um parceiro.

É um desafio - mas também pode ser um momento para aprender sobre si mesmo e encontrar novas direções.

Eu sofri nos primeiros dias de separação, mas superei quando mudei para minha própria casa e estabeleci uma vida independente com meus filhos. Meus filhos e eu estamos muito conscientes dos benefícios de uma vida familiar feliz.
- Mel, 31 anos, separada por quatro anos e mãe de dois filhos

Dicas para os primeiros dias da criação dos pais solteiros

Para começar, pode ser suficiente apenas para sobreviver, fazendo o que precisa ser feito e lidando com suas emoções. É bom ficar no modo de enfrentamento por um tempo. Aqui estão algumas sugestões para ajudá-lo a passar pelos primeiros dias e semanas.

Procure apoio
Sua família e amigos podem ser linhas de vida. Se você não conseguir apoio deles, procure outros pais ou vizinhos. Tente conversar com as pessoas na creche, no parque infantil ou na escola do seu filho ou no centro de saúde comunitário. Você também pode conhecer outras famílias monoparentais e compartilhar idéias e experiências participando de um grupo de apoio on-line ou pessoalmente.

Tire um tempo para ajustar
Leva tempo para se acostumar com grandes mudanças; portanto, reserve um tempo para trabalhar com seus sentimentos. E quaisquer que sejam as circunstâncias, o sentimento de perda pode fazer parte da sua experiência. Não há problema em se sentir assim e falar sobre isso - isso ajuda você a se curar.

Dê um passo a passo
Nos primeiros dias, não espere muito de você e sua família. Pode haver algumas coisas nas quais você realmente não precisa pensar agora. Ou você pode adiar algumas grandes decisões até que as coisas fiquem mais claras - por exemplo, mudança de casa.

Concentre-se no que você pode controlar
Algumas coisas estarão fora de seu controle, como o que acontece quando seu filho está com seu ex-parceiro. Economize sua energia para lidar com as coisas que você pode influenciar. Por exemplo, você pode definir algumas rotinas familiares para ajudar seu filho a se sentir seguro e cuidado quando estiver com você.

Lembre-se de que você tem escolhas
Mesmo se você não puder mudar a situação, poderá mudar a forma como responde. Por exemplo, você pode optar por se comportar bem, mesmo se seu ex-parceiro se comportar mal. Você pode cuidar de si mesmo e permanecer saudável. Você também pode optar por se cercar de pessoas positivas e solidárias. Essas escolhas farão uma grande diferença em como você se sente.

Vá devagar consigo mesmo
É fácil começar a se culpar por tudo que der errado. Mas você não é um super-herói, e ninguém espera que você seja. Seja gentil consigo mesmo e reconheça seu progresso sempre que puder.

Concentre-se em seus pontos fortes
Você se sentirá mais confiante e resiliente se reconhecer seus pontos fortes, lembrar como lidou com os desafios do passado e definir metas realistas. Por exemplo, você pode ser bom em acalmar seu bebê, pode ter elaborado boas rotinas no passado ou talvez saiba quando pedir apoio. Todas essas coisas devem se orgulhar.

Pense positivamente no futuro
Permita-se sonhar um pouco sobre como você gostaria que as coisas fossem. Desenvolva novas metas para você e seu filho e trabalhe gradualmente para elas.

Devo admitir que foi apenas um alívio quando saí. Eu tinha passado tanto tempo andando com casca de ovo. Eu não me importava com o quão difícil seria criar meus filhos - eu só queria me sentir seguro e encontrar algum tipo de calma. Quatro anos depois, sou cem vezes mais forte e sem arrependimentos.
- Lillian, 27 anos, separada por quatro anos e mãe de três filhos

Pensamentos de outras famílias monoparentais

Os desafios de ser mãe solteira mudam com o tempo. Você e / ou seu ex-parceiro podem se associar, o que adicionará uma nova dimensão aos seus acordos. E, claro, as crianças crescem constantemente e suas necessidades mudam.

Aqui está o que outros pais solteiros dizem:

  • “Sou capaz de instilar um senso de valores e responsabilidades e ser um modelo positivo para meus filhos, sem o conflito de outro pai ou mãe. Trabalho duro? Sim. Solitário? Frequentemente. Mas mais fácil? MUITO DE!'
  • "Sinto que nosso ambiente doméstico é melhor do que era quando eu era casado."
  • "Descobri minha força interior e confio em minhas habilidades como mãe e pai."
  • "Eu me assegurei de permanecer conectado socialmente e fiz um esforço para permanecer ativo."
  • "Tentei não me concentrar muito no fim do relacionamento e, em vez disso, foquei em um futuro com meus filhos."
  • Agora tomo minhas próprias decisões sobre minha vida e me sinto mais em paz.