Em formação

Matronação: mães e bebês ao mar!

Matronação: mães e bebês ao mar!

Não há dúvida de que a água relaxa, estimula os movimentos e elimina qualquer situação estressante que o bebê possa vivenciar. Nadar com a mãe ou a parteira é uma prática cujos efeitos não demoram a ser notados. Minha filha começou a dormir melhor, a comer com mais vontade, e também começou a engatinhar imediatamente.

É normal que as mães fiquem um pouco apreensivas no início por estar com um bebê tão pequeno em uma piscina, mas isso só no início. Os bebês gostam tanto de água que aprendem a espirrar e respingar, que muitos acabam chorando para não sair da piscina. Isso aconteceu com minha filha. Ela sempre quis mais.

Os pediatras acreditam que a melhor época para o bebê começar a fazer parteira é depois dos quatro ou cinco meses de idade, já que nessa idade o sistema imunológico acaba amadurecendo e as chances de resfriados e infecções, como otites, são menores. Também nessa idade, o bebê já movimenta a cabeça e os braços com mais equilíbrio e não se assusta tanto com as mudanças.

As aulas de obstetrícia geralmente duram de 30 a 45 minutos, dependendo da escola e da idade da criança. A professora orienta a mãe (ou o pai) a ensinar seu próprio bebê a nadar. Uma relação de confiança e ternura única e muito gratificante se estabelece entre o bebê e sua mãe.

Quanto mais confiante a mãe estiver, mais relaxado e interessado seu bebê ficará. Durante as aulas trabalham com materiais didáticos como bolas, tabuleiros, “churros”, etc., adaptados ao tamanho e capacidade de cada bebê. O bebê vai aprender a nadar de forma lúdica e ao mesmo tempo se comunicar com os pais.

Quanto mais cedo o menor tiver esse contato com a água, mais segurança ele adquirirá para aprender a nadar e a ter respeito com o meio aquático. Para que as aulas sigam as expectativas dos pais, é necessário garantir que o local onde se pratica a obstetrícia tenha higiene adequada, que a temperatura da água esteja correta e que não haja nenhuma corrente de ar. Claro, os pais não ficam de fora.

O fato de a aula ser chamada de obstetrícia não significa que somente as mães tenham o direito de acompanhar seus bebês. Os pais também são bem vindos. De resto, só falta desfrutar. Você ficará surpreso quando seu bebê não quiser mais que você o segure e estende a mão para puxar seus braços para que ele possa se soltar na água, sem afundar. Você vai ouvir e sentir a batida do seu coração! Já verás...

Você pode ler mais artigos semelhantes a Matronação: mães e bebês ao mar!, na categoria de estimulação infantil no local.


Vídeo: CURIOSIDADES SOBRE O BEBÊ DE 10 MESES (Dezembro 2021).