Informações

Comportamento desafiador: crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista

Comportamento desafiador: crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista

Comportamento desafiador em crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista

Todas as crianças podem se comportar de maneiras que os pais acham difícil ou difícil de administrar. Mas as crianças com transtorno do espectro do autismo (ASD) são mais propensas a fazê-lo.

Crianças e adolescentes com TEA podem:

  • recusar ou ignorar pedidos
  • comportar-se de maneiras socialmente inadequadas, como tirar a roupa em público
  • ser agressivo ou ter birras
  • se envolver em comportamento auto-estimulador, como balançar ou sacudir a mão
  • machucar a si mesmos ou a outras crianças - por exemplo, batendo com a cabeça ou mordendo.

Por que crianças com transtorno do espectro autista se comportam de maneiras desafiadoras

Crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista (TEA) podem se comportar de maneiras desafiadoras porque:

  • tiver problemas para entender o que está acontecendo ao seu redor - por exemplo, o que as outras pessoas estão dizendo ou se comunicando não verbalmente
  • não têm maneiras eficazes de comunicar seus próprios desejos e necessidades, o que leva à frustração
  • estão muito ansiosos.

O comportamento difícil do seu filho também pode ter gatilhos específicos, como os seguintes.

Rotinas e rituais
As crianças com TEA geralmente gostam de ambientes previsíveis e podem ficar muito chateadas se suas rotinas familiares forem interrompidas. Por exemplo, seu filho pode ficar chateado se você mudar o caminho que costuma levar da escola para casa.

Transições
Seu filho pode não entender que é hora de passar de uma atividade para outra. Ou, como normalmente desenvolve crianças, ela pode não querer.

Sensibilidades sensoriais
Se seu filho tiver sensibilidades sensoriais, ele pode gostar de sentir ou tocar superfícies ou objetos específicos. Ele pode ficar chateado se não puder.

Sobrecarga sensorial
Seu filho pode ficar chateado se houver muita coisa acontecendo ao seu redor, ou se encontrar um ruído em particular esmagador, ou se for brilhante demais para ela.

Expectativas irrealistas
Como todas as crianças, seu filho com TEA pode ficar frustrado se ele espera fazer algo para o qual não tem habilidades, como se vestir sozinho.

Cansaço
Crianças com TEA podem ter problemas de sono. Se seu filho não estiver dormindo o suficiente de boa qualidade, isso pode causar um comportamento diurno difícil.

Desconforto
Isso pode incluir coisas como a sensação de roupas contra a pele, uma etiqueta espinhosa, calças molhadas, um inchaço ou dor. Verifique com seu médico se você suspeitar que possa haver uma condição médica causando o comportamento do seu filho.

Outras condições
Seu filho pode ter outras condições, além de TEA, como epilepsia, transtorno de humor ou TDAH. Tudo isso pode causar um comportamento difícil. Uma avaliação médica ajudará você a identificar e gerenciar essas condições.

Gerenciando comportamentos desafiadores: coisas para experimentar em casa

Para mudar o comportamento do seu filho, você precisa entender o que está causando isso e o que ele está tirando dele.

Pense no comportamento como um sanduíche ABC:

  • UMAntecedents - estes são 'gatilhos' para o comportamento.
  • Bcomportamento - é assim que seu filho responde ao gatilho.
  • Cconseqüências ou 'recompensas' - é assim que seu filho se comporta dessa maneira. Por exemplo, ele pode continuar com uma atividade favorita ou deixar uma situação estressante.

Você pode trabalhar no comportamento difícil ou desafiador do seu filho alterar os gatilhos do comportamento ou as 'recompensas' seu filho recebe do comportamento. Aqui está como.

Etapa 1: escolha um comportamento
Escolha um comportamento para focar. Por exemplo, talvez seu filho balança para frente e para trás enquanto chora.

Etapa 2: identifique gatilhos e recompensas do comportamento que você escolheu
Você pode identificar gatilhos e recompensas mantendo um diário do comportamento difícil por 1-2 semanas. É uma boa ideia incluir dois fins de semana no diário. As rotinas e o comportamento da família podem ser diferentes nos finais de semana e nos dias úteis.

Aqui está um exemplo de um diário usando o método sanduíche ABC:

  • Comportamento difícil: criança chora e chora
  • Quando: 16:00, segunda-feira, 7 de junho
  • Onde: no carro, a caminho da escola
  • O que aconteceu antes do comportamento: parado na loja, destinado a comprar leite
  • O que aconteceu depois: tentou brevemente acalmar a criança e depois foi para casa sem comprar leite

Neste exemplo, o gatilho parece ser a alteração na rotina pós-escola da criança. A 'recompensa' por balançar e chorar está voltando à rotina (porque os pais vão para casa sem comprar leite). Observe que às vezes pode haver mais de um gatilho para um comportamento.

Etapa 3: faça alterações
Depois de saber o que está desencadeando o comportamento e o que seu filho está obtendo dele, você pode usar as informações para fazer alterações. aqui estão alguns exemplos:

  • Organize rotinas previsíveis, talvez usando horários de figuras.
  • Prepare seu filho para mudar as rotinas - por exemplo, dando a ele um aviso de cinco minutos (isso pode ser um aviso visual como um relógio). Usar imagens também pode ajudar. No exemplo acima, pode ser uma foto de uma loja ou leite. O Social Stories ™ também pode ser útil - por exemplo, uma foto da escola, depois da loja e depois para casa com uma história como 'A primeira mãe pega você na escola, depois vai à loja e depois volta para casa'.
  • Configure introduções graduais para ambientes que possam ser superestimulantes. Por exemplo, comece com visitas curtas durante as quais seu filho obtém algo de que gosta ou vá quando estiver menos ocupado.
  • Comunique-se claramente com seu filho. Por exemplo, verifique se seu filho está prestando atenção quando você diz a ele o que vai acontecer. Use apenas uma solicitação ou instrução de cada vez. Use linguagem, símbolos ou figuras que seu filho entenda.
  • Ensine seu filho a pedir coisas que ele quer ou precisa. Por exemplo, seu filho pode dizer 'ajuda' ou usar um sinal de 'ajuda' quando encontrar uma tarefa difícil.
  • Planeje situações que você conhece que podem ser difíceis. Por exemplo, não faça coisas novas quando seu filho estiver cansado ou deixe que ele pegue um brinquedo favorito quando você for a algum lugar que o deixe desconfortável.
  • Ignore calmamente os protestos de seu filho. Mas quando ela estiver fazendo a coisa certa, elogie-a bastante.
Você pode ler o nosso artigo sobre o incentivo ao comportamento cooperativo em crianças com TEA. Você também pode incentivar o bom comportamento usando nossas 15 dicas de comportamento. Embora essas dicas sejam escritas para crianças em desenvolvimento típico, você pode adaptá-las para se adequar ao nível de desenvolvimento e comunicação do seu filho.

Terapias para melhorar a comunicação e as habilidades sociais

Uma comunicação melhorada e um entendimento social podem levar a uma menor ansiedade e um comportamento menos desafiador em crianças e adolescentes com transtorno do espectro do autismo (TEA). Existem muitas terapias que podem ajudar a melhorar as habilidades do seu filho nessas áreas e a gerenciar o comportamento do seu filho.

As terapias baseadas nos princípios da Análise Aplicada ao Comportamento (ABA) podem ser usadas para ensinar novas habilidades ao seu filho e incentivar o comportamento apropriado, o que pode reduzir a necessidade de comportamento inadequado do seu filho. Essas terapias incluem:

  • Treinamento para avaliação discreta (TDT)
  • Ensino incidental
  • Tratamento de resposta central (PRT)
  • Suporte ao comportamento positivo (PBS)
  • Sistema de comunicação de troca de imagens (PECS).

Outras terapias, como estratégias de comunicação aumentada, também podem ser úteis.

O seu médico ou consultor local de autismo pode ajudá-lo a encontrar terapias apropriadas para o seu filho. Psicólogos, fonoaudiólogos, profissionais experientes da ABA e Board Certified Behavior Analysts® podem ajudá-lo no gerenciamento do comportamento se o comportamento continuar a ser um problema ou se você sentir que precisa de suporte para lidar com isso.

Nosso Guia dos pais para terapias oferece informações confiáveis ​​sobre uma ampla gama de terapias e intervenções para crianças com TEA. Cada guia fornece uma visão geral da terapia, o que a pesquisa diz sobre a terapia e o tempo e custos aproximados envolvidos.